AUTO POSTO ZAFFANI, EM BREVE

AUTO POSTO ZAFFANI, EM BREVE
A partir de janeiro de 2018, AUTO POSTO ZAFFANI estará priorizando ótima qualidade e bom atendimento, estabelecido na Rua São Paulo, bem no coração da cidade de Ribeirão do Pinhal - Centro.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

DENGUE, PLANO MUNICIPAL DE CONTINGÊNCIA PARA ENDEMIAS DE DENGUE 23-08-2013

DENGUE, UM ASSUNTO MUITO SÉRIO.

O Município de Ribeirão do Pinhal, possui segundo a última estimativa do IBGE de 2009, 13.524 habitantes, não vamos deixar essa estatística cair, por causa do mosquito da dengue.

Reunião nesta sexta-feira 23 de agosto de 2013, sobre o Plano de Contingência para Endemias de Dengue. 

SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE RIBEIRÃO DO PINHAL - PARANÁ- BRASIL.

PREFEITO MUNICIPAL DE RIBEIRÃO DO PINHAL: Dr. Dartagnan Calixto Fraiz.

SECRETÁRIA MUNICIPAL DA SAÚDE: Nadir Sara Melo Fraga Cunha.

SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE: Paulo Emílio Coutinho - Zeni de Campos.

COORDENADOR COMBATE À DENGUE: Adilson Martins Inácio.

ELABORAÇÃO: Paulo Emílio Coutinho.

COLABORAÇÃO: Programa PSF, Equipe de Combate a Endemias.

PLANO MUNICIPAL DE CONTINGÊNCIA PARA ENDEMIAS DE DENGUE. 

          O município de Ribeirão do Pinhal, criado em 11 de outubro de 1947, pela Lei Estadual nº 02, está situado na Mesorregião do Norte Paranaense e na Microrregião do Norte Velho de Jacarezinho, com área de 391 Km² ; é limitado ao norte pelos municípios de Cornélio Procópio e Abatiá; ao sul, pelos de Congonhinhas, Ibaiti e Jundiaí do Sul; a leste, pelo de Jundiaí do Sul; a oeste, pelos de Nova Fátima e Congonhinhas. A Sede Municipal, a 560 metros de altitude, tem sua posição geográfica determinada pelo paralelo 23°25 de latitude sul em sua interseção com o meridiano de 50°21 de longitude oeste. Segundo a última estimativa do IBGE de 2009, possui 13.524 habitantes.

ANÁLISE DA SITUAÇÃO DA DENGUE NO MUNICÍPIO:

        Verificamos que alguns fatores tem relação direta com o aparecimento da doença, são eles IIP, presença do vírus circulante e uma equipe de Agentes de Combate a Endemias atuante e uma comunidade participativa. Observamos que nenhum dos fatores isoladamente está ligado ao aparecimento ou não da doença, mas sim a somatória de todos eles. Exemplo: Em 2007 o IIP era de 0,89 e tivemos um caso da doença, em 2012 o IIP era 1,92 e não tivemos casos; em 2010/2011 onde tivemos 157 casos positivos observamos a não presença de uma equipe bem formada e atuante, visto que os/as Agentes de Endemias eram recém contratados/contratadas, sem experiência e treinamento, daí o alastramento da doença. Neste episódio tínhamos uma IIPde 2,14, onde demonstra a presença do mosquito. Quando uma epidemia é instalada é extremamente difícil o controle da doença, pois, a equipe se concentra em bloqueios e buscas ativas deixando a rotina do dia-a-dia de lado. Com tudo isso concluímos que uma Sociedade participativa diminuiria a presença do mosquito, evitando assim a ocorrência de epidemias.

JUSTIFICATIVA:          

       Este documento justifica-se pela situação de infestação de Aedes Aegypti no município, acrescido do comportamento desfavorável de grande parte da população na iniciativa de prevenção de situações que favoreçam o aparecimento de criadouros do mosquito em suas residências e arredores, fazendo com que sempre haja o risco de aparecimento da Dengue.  

1º VÍDEO: Os sintomas da Dengue e os Exames Básicos Laboratoriais. 

     2º VÍDEO: Combate ao Vetor, Aplicar a Lei Municipal nº 1435/2010 que trata das penalidades em imóveis com criadouros do Aedes Aegypti.





















Nenhum comentário:

Postar um comentário